Publications des agents du Cirad

Cirad

A Amazônia pode virar uma grande região de pecuaria bovina sustentavel?

Da Veiga J.B., Poccard Chapuis R., Alves A.M.B., Piketty M.G., Thales M.C., Grijalva J., Valencia F., Rios Alvaredo J., Tourrand J.F.. 2001. In : Jornadas agrarias, Buenos Aires, argentina, 7-9 noviembre 2001. s.l. : s.n., 8 p.. Jordanas Agrarias. 2, 2001-11-07/2001-11-09, Buenos Aires (Argentine).

Até 1970, a Amazônia continental tinha em torno de três milhões de bovinos e bubalinos, criados principalmente nos campos naturais, localizados ao longo do rio Amazonas e nas áreas de savanas. Em 2000, o rebanho bovino dessa região estava entre 50-60 milhões de cabeças, ou seja, vinte vezes maior do que trinta anos atrás. Além disso, esse rebanho apresenta uma taxa média de crescimento anual de 5-8%, o que deverá fazer da Amazônia uma das primeiras regiões de pecuária bovina do mundo. Essa acelerada dinâmica da pecuária está relacionada à implantação de programas de colonização nos últimos trinta anos ao longo do Arco do Desmatamento, indo do Brasil à Colômbia atravessando a Bolívia, o Peru e o Equador, onde se concentram atualmente mais de 90% do rebanho bovino. Baseado em uma análise comparativa em diversas frentes pioneiras da Amazônia, os autores explicam os principais fatores e razões do forte desenvolvimento da pecuária bovina na Amazônia como: a facilidade de comercialização dos produtos pecuários, a eficiência dos sistemas técnicos elaborados após alguns erros iniciais e a falta de alternativas agrícolas rentáveis. Entretanto, essa expansão da pecuária bovina na Amazônia cria problemas ecológicos e sociais bastante criticados pela comunidade científica nos vinte últimos anos. De um lado, os 50-60 milhões de hectares de pastagem foram implantados em áreas de floresta nativa após desmatamento, processo este que continua. De outro fado, os procedimentos adotads para a expansão das propriedades pecuárias e a situação da mão-de-obra em algumas fazendas apresentam problemas incompatíveis com a futura exigência de qualidade ecológica e social do mercado internacional, sabendo-se que antes a qualidade sanitária e comercial deve ser resolvida. Os autores mostram que diversos fatores econômicos, sociais, culturais, políticos e técnicos deveriam a curto e médio prazo se combinar para tornar a pecuária bovina mais sustentável na Amazônia.
Communication de congrès

Agents Cirad, auteurs de cette publication :